Cuba testa ozônio no ânus para tratamento da Covid-19

 Cuba testa ozônio no ânus para tratamento da Covid-19

De acordo com o jornal venezuelano El Nacional, em uma reunião no Palácio da Revolução, cientistas cubanos apresentaram os resultados de um ensaio clínico com terapia de ozônio retal em pacientes confirmados com covid-19. O líder cubano, Miguel Díaz-Canel, esteve presente na reunião. Esta terapia foi usada em pessoas doentes que apresentavam sintomas leves e moderados, diz ADN Cuba.

Segundo declarações a esse médium de Sarahi Mendoza Castaño, diretor de pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do Centro Nacional de Pesquisas Científicas, foi demonstrado que “a associação da ozonioterapia com o tratamento convencional de COVID-19 aumentou em 40% o número de pacientes com a teste PCR negativo no quinto dia”.

Além disso, de acordo com o jornal  o diretor-geral do Finlay Vaccine Institute, Vicente Vérez Bencomo, disse que a primeira fase do ensaio clínico de Soberana, a primeira vacina candidata cubana contra covid-19, “está indo bem e até agora apenas luz e efeitos adversos comuns, como dor de cabeça e na área do braço onde a injeção é administrada”.

Por sua vez, Díaz-Canel afirmou que “isto dá-nos um sinal de que existe uma intensa actividade científica, estimulada pela procura de um confronto eficaz, seguro e soberano com o covid-19; e está gerando uma dinâmica científica para nós”.

No dia 28 de agosto, o relatório diário de casos de coronavírus em Cuba mostrou uma ligeira recuperação em relação aos dias anteriores: 60 novos incidentes, num total de 3.866, mais de cinco meses após o início da pandemia.

Há 1.061 pessoas internadas em hospitais sob vigilância e, dessas, 550 estão confirmadas com a doença. Cinco pacientes em estado crítico e 18 em estado grave são relatados.

No último mês, as províncias mais afetadas por esta segunda onda do vírus foram Havana, Artemisa, Villa Clara e Pinar del Río, de modo que em alguns bairros e áreas há quarentenas obrigatórias.

Os 60 casos diagnosticados são cubanos. Destes, 40 foram contatos de casos previamente confirmados, 17 têm fonte de infecção no estrangeiro e em três a fonte de infecção é investigada, segundo o último relatório do Ministério da Saúde Pública. Cerca de 41 de todos os novos casos eram assintomáticos.

Em 11 de março, foram confirmados os primeiros casos positivos de infecção por coronavírus em Cuba, com três turistas visitando o país, segundo dados do Minsap.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *