Noite de Destruição em Porto Alegre; Carrefour onde Beto Freitas foi morto amanhece depredado

 Noite de Destruição em Porto Alegre; Carrefour onde Beto Freitas foi morto amanhece depredado

A noite de sexta-feira foi marcada pelo vandalismo na capital do Rio Grande do Sul, durante o final da tarde de sexta e o começo da noite manifestantes atacaram com fúria a unidade do Hipermercado Carrefour onde João Alberto Freitas foi morto após ser espancado por um segurança e um PM a paisana. Os manifestantes se juntaram as centenas na frente da unidade do Carrefour do Passo d’Areia, bairro que ficou de uma hora para outra conhecido no mundo inteiro devido a morte de Beto Freitas dentro do mercado, e o que começou como uma manifestação pacífica logo acabou em depredação e vandalismo.

Aos gritos de quebra tudo, manifestantes destruíram vidraças de lojistas sem relação alguma com o ocorrido na noite de quinta, além de destruírem boa parte das estruturas externas no mercado bem como alguns veículos estacionados no estabelecimento.

Além do ataque ao mercado, containers de lixos fora incendiados e há relatos de que alguns ônibus que atendem o bairro apedrejados e pichados. Os manifestantes protestaram contra o racismo mas no entanto alguns fizeram o uso da violência e depredação como sendo sua voz d protesto. No começo da manhã deste sábado havia muita fumaça ainda no local.

Quando funcionários chegaram para trabalhar na manhã deste sábado encontrara, um cenário que mais lembrava um filme de guerra. Segundo alguns funcionário relataram houve colegas que faltaram o serviço por medo das manifestações se tornarem mais violentas.

Nas redes sociais e grupos de whats circulam vídeos que mostram o momento do tumulto bem como fotos da destruição promovida durante a noite. Eram portões arrancados de seus lugares, cancelas queimadas, vidros pelo chão e um cheiro forte de fumaça.

Existe ainda uma grande mobilização por novas manifestações na frente do mercado e vizinhos da região pedem por mais segurança após uma noite de muito pavor e medo. 

Enquanto isso as autoridades buscam contornar a situação para tentar ao menos evitar que uma tragédia ainda maior ocorra, até o momento o que se sabe é que os agressores identificados como sendo Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva, foram detidos e presos em flagrante por homicídio qualificado.

VOCÊ PODE GOSTAR

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *